• Porque escrever é um vício.

    Da Loucura Inocente.
    Lá na Crônica do Dia - de hoje.

    A curiosidade desse texto é que ele foi escrito há quase onze anos - em Julho de 97.

    Eu ainda morava , onde ainda vive a minha mãe e meu irmão mais jovem, na casa que foi do meu pai, dentro do condomínio que abriga a casa na colina - um hospício antigo, hoje modernizado, cuja casa permanece a mesma: branca e com imenso jardim. Lotearam a parte de baixo justamente para custear o local - que pertence à Prefeitura de Campinas e sobrevive à custa de doações e manobras administrativas como essa.

    Alguns dos que a habitam - digamos, os menos perturbados e não perigosos à sociedade - têm permissão para cruzar a pequena ponte e passear pelo condomínio. Na calçada da casa do meu pai - a última casa de uma das ruas sem saída -, ele gravou no cimento nosso sobrenome: Família Böttcher.

    Na entrada principal há uma porta janela, que dá pra garagem, onde estava (ainda está) instalada a sala de TV. Normalmente, essa porta ficava aberta. Pois foi numa tarde de domingo que, sem que ninguém ouvisse qualquer ruído - e nem os cachorros latiram! -, uma moça abriu os portões, seguiu pela garagem e parou na porta - para nosso espanto e susto.

    Ela sorriu. Minha mãe se levantou e perguntou se ela estava perdida. Ela disse que não. Explicou então que caminhara até ali para ver a casa - que parecia um castelo (meu pai tinha inclinação a estilos mediterrâneos). E ela queria conhecer a Família Böttcher...

    Sim... A loucura tem curiosos momentos de sanidade - e profunda paz...

    1 comentários:

    Marisa Nascimento disse...

    Debora, lindo o seu texto e, como toda literatura de boa qualidade, é atemporal. Curioso mesmo é que também a sanidade tem seus momentos de loucura e de silêncio introspectivo...
    Beijo grande

     

    Arquivo do blog

    Perfil

    Minha foto

    Coordena os Portais Babel Cultural e Estilo 40. 
    Escreveu por dez anos para o site Crônica do Dia. Administra e escreve minicontos em Hiperbreves.
    Formada em Letras, trabalha com arte-visual. Casada, 'mãe' da Maya - uma Labradora chocolate. 

    Se tem algo a dizer, envie sua msg.

    Nome

    E-mail *

    Mensagem *