• Porque escrever é um vício.

    Telefones...

    Lembro que, na infância, eu queria um telefone e ele me foi dado de presente de aniversário - uma mordomia da qual eu, de classe média estudando em colégio de classe alta, ainda não usufruía e 'invejava'. Encantada, tratei de dar meu número para todos os coleguinhas... e descobri, desolada, que tinha me enveredado por um caminho terrível...

    O telefone, poucos se dão conta, é um intruso, tanto mais o celular - apesar de ter sua muita utilidade, claro.

    Eu, desde essa ocasião, cujo encantamento não durou mais do que quinze dias, passei a detestar telefones. Só falo mesmo com os muito queridos e por conta da impressindível necessidade cotidiana - que nos enreda, quase sempre, pela irritação por conta da negligência com que nos atendem. Evito, portanto, tanto quanto posso, precisar desse acesso - quem me conhece sabe.



    Mas algumas pessoas me dão infinito prazer pelo invento de Graham Bell...




    0 comentários:

     

    Arquivo do blog

    Perfil

    Minha foto

    Coordena os Portais Babel Cultural e Estilo 40. 
    Escreveu por dez anos para o site Crônica do Dia. Administra e escreve minicontos em Hiperbreves.
    Formada em Letras, trabalha com arte-visual. Casada, 'mãe' da Maya - uma Labradora chocolate. 

    Se tem algo a dizer, envie sua msg.

    Nome

    E-mail *

    Mensagem *