• Porque escrever é um vício.

    Houve um tempo em que eu escrevia muito: eu era triste e escrever, inventar ilusões, era minha maneira exótica de liberar a alma de pesos insondáveis...

    Hoje, já não escrevo tanto... Os desenhos da alegria inspiram a viver mais do que a manchar pergaminhos de lágrimas dedilhadas...

    Mas eu quero deixar aqui uns fragmentos desse tempo que não deixa saudades - só marcas...



    INQUIETAÇÃO

    Chove... Faz frio... Mas não venta - e isso é uma pena.

    A possibilidade de viver um dia inteiro sem saudades de você

    Parece só um sonho...



    SINCRONIA

    Foi muito bom encontrar o seu recado logo pela manhã.

    Como de costume, naquela hora da madrugada

    Em que você olhava a Lua, eu pensava em você...

    Ventava um pouco. Havia um certo perfume no ar...



    DO DELÍRIO

    Foi mágico chegar aqui guardando comigo um pouco da sua essência:

    O aroma da primeira estrela...



    ABSTRAÇÃO

    Suas palavras que soam distantes.

    A realidade uma brincadeira: jogo de letras.

    Sons soltos ao vento para simplesmente encher o silêncio...



    SAUDADE

    Desce a noite:

    Entardecer vermelho anunciando céu estrelado.

    Pensamento distante buscando você...

    No horizonte livre, na brisa calma, na primeira estrela.

    Não estás...

    E uma lágrima brinca em minha face...



    VOLTANDO

    Faz de conta que eu não te deixei há meia hora, e viajei - em mais de um sentido -, de volta para este recado...



    DE IR

    Bom é ir a qualquer lugar

    Além do mar,

    Depois do azul,

    Através das sombras...



    DA EXTRAVAGÂNCIA

    A queda da pequena flor quebrando a harmonia do grande lago...



    MIRAGEM

    Olho-me no espelho:

    Imagem de uma mulher que não conheço.

    Linhas de expressão: a face perdida.

    Olhos apagados. Lábios cerrados.

    Marcas da dor, reflexos do nada, mudez da solidão.

    E na colina, a visão da tarde que morre no horizonte...



    ESTRELA

    ... E a estrela que dorme, cálida,

    De repente desperta, e se torna cadente.

    Instantâneo segundo que nos inspira um desejo.

    Mágico, quase imperceptível, tão rápido momento.

    Brilhante instante que poderia ser eterno.

    Tão lindo, tão sublime, quase irreal...



    E vou contar: muito do que escrevi, está dedicado a esse homem querido que apareceu em minha vida trazendo o Amor e a Alegria, quando eu não mais acreditava em homens queridos...




    0 comentários:

     

    Arquivo do blog

    Perfil

    Minha foto

    Coordena os Portais Babel Cultural e Estilo 40. 
    Escreveu por dez anos para o site Crônica do Dia. Administra e escreve minicontos em Hiperbreves.
    Formada em Letras, trabalha com arte-visual. Casada, 'mãe' da Maya - uma Labradora chocolate. 

    Se tem algo a dizer, envie sua msg.

    Nome

    E-mail *

    Mensagem *