• Porque escrever é um vício.

    Hoje é aniversário do meu enteado mais novo, o Nando - que faz 22 anos. Ele veio almoçar conosco - com direito a bolo e brigadeiro, como sempre faço para todos.

    Ele e meu marido ainda conversam na sala, e eu desejo que ele seja muito feliz...



    Mas pela manhã minha mãe ligou, muito aborrecida: meus irmãos, por conta de intrigas da esposa do mais velho, discutiram - e feio. Eu ouvi tudo calmamente e tentei tranquilizá-la e amortecer sua preocupação, mas depois chorei muito: porque estou longe e não sei o que fazer (e provavelmente também não o saberia se estivesse perto); porque já não cabe mais para nós rupturas e separações; porque amo aos dois, mas gostaria de poder proteger o mais novo - que sempre me pareceu tão mais sem norte; e, principalmente, porque meu pai já não está mais aqui e, de repente, bate-me a sensação de que estamos, todos, tão sós!!!...

    Deveria ser proibido morrer jovem (ou, pelo menos, antes dos 80)!

    Eu às vezes me sinto muito triste e cansada e, nessas ocasiões, pergunto-me para que vivemos, afinal...



    Mas Letícia, minha sobrinha - filha do meu irmão mais velho -, acaba de ligar: ela precisa de duas poesias infantis para um trabalho de colégio. Eu vou em busca para ela...



    Venta lá fora, faz frio... E o dia segue regado com alegria e dor - que são, aliás, as margens da contradição pelas quais a vida se desenha.




    0 comentários:

     

    Arquivo do blog

    Perfil

    Minha foto

    Coordena os Portais Babel Cultural e Estilo 40. 
    Escreveu por dez anos para o site Crônica do Dia. Administra e escreve minicontos em Hiperbreves.
    Formada em Letras, trabalha com arte-visual. Casada, 'mãe' da Maya - uma Labradora chocolate. 

    Se tem algo a dizer, envie sua msg.

    Nome

    E-mail *

    Mensagem *