• Porque escrever é um vício.

    Eu gostaria de escrever algo sobre o Oscar, mas não sei se tenho conhecimento de causa que possa ser relevante. Arrisco, entretanto, uma pincelada das minhas percepções superficiais.

    Gostei muito da premiação para a primeira atriz negra - um prêmio tardio, já que antes de Halle Barry outras foram merecedoras.

    Os homenageados da noite, Sidney Poitier por sua trajetória e pelo apoio à diversidade racial, e Robert Redford pelo conjunto de sua obra, causaram emoção.

    Uma Mente Brilhante, o grande premiado da noite, é realmente o melhor filme da temporada.

    A Sociedade dos Anéis, que ficou com os prêmios técnicos, também é uma grande produção, mas ainda não há na história um vencedor por suas fantasias maravilhosas: nem todos acreditam na magia.

    Denzel Washington é excepcional, mas foi minha dúvida: ficou em mim a impressão de que ele foi a segunda opção diante do estardalhaço emocional provocado recentemente por Russel Crowe, com seu temperamento intempestivo: se o diretor da trama, ao receber a estatueta de Melhor Filme, afirmou que sem ele, seu talento e dedicação, a produção não poderia ter sido tão exaltada, a Academia, mais uma vez, provou sua política de desafetos. Uma pena: sem tirar os méritos de DW, Crowe era o vencedor como Melhor Ator.



    E como nem tudo são flores, a saída do tapete vermelho - que era vinho -, devia estar regada de espinhos por conta das tradicionais surpresas que a festa política e glamourosa de Hollywood não cansa de causar, ano após ano...

    Agora, é esperar por 2003.


    0 comentários:

     

    Arquivo do blog

    Perfil

    Minha foto

    Coordena os Portais Babel Cultural e Estilo 40. 
    Escreveu por dez anos para o site Crônica do Dia. Administra e escreve minicontos em Hiperbreves.
    Formada em Letras, trabalha com arte-visual. Casada, 'mãe' da Maya - uma Labradora chocolate. 

    Se tem algo a dizer, envie sua msg.

    Nome

    E-mail *

    Mensagem *