• Porque escrever é um vício.

    CANTO DE FOGO - Roberto Godoy



    Foi há muito tempo.

    Era um homem sério e experiente como um guerreiro. A sua presença na beira do lago já era tão familiar que não mais perturbava o crescimento das flores, o canto dos pássaros, ou o musgo da pedra. Os peixes o viam. A barba longa roçava a grama do verão e a neve do inverno sempre da mesma forma - carinhosamente.

    A emoção batia forte - no ritmo do coração -, quando o homem sério abria a memória para ouvir um canto de fogo que falava, à meia-voz, de tempos difíceis, chaves mágicas, felicidade, oceanos e carícias únicas. Um encantamento, capaz de levar ao descanso a adaga da vingança, semi-desembainhada para seu uso frio.

    As mãos do guerreiro-homem, antigas como a água da chuva, carregavam apenas três apetrechos básicos da criação - um pedaço de papel de arroz, um pote de tinta vermelha, um pincel de escrever.

    Um dia, sob o gelo e o sol, o homem que era parte do lago recostou-se sobre a rocha, sorriu, saboreou o último perfume da brisa e, silenciosamente, partiu.

    Dos seus dedos escapou a folha de papel sobre a qual em delicados ideogramas, ele escrevera, continuamente, durante toda a vida, o nome e o significado da mulher amada.

    A maré do lago carregou-a para longe, e o vento soprou-a lentamente para as nuvens, afastando-a do olho perverso do dragão do passado.

    No céu, desde então, quem a vê flutuando ao por-do-sol ou nas noites de lua cheia, pode encontrar nela o nome do maior amor de cada geração.

    Hoje, os finos traços têm a forma de sete letras romanas.

    Foi agora, para sempre...



    Roberto Godoy - amigo -, é jornalista, diretor no jornal O Estado de S. Paulo. Trabalhei com ele por sete anos e esse é um de seus textos que mais gosto.




    0 comentários:

     

    Arquivo do blog

    Perfil

    Minha foto

    Coordena os Portais Babel Cultural e Estilo 40. 
    Escreveu por dez anos para o site Crônica do Dia. Administra e escreve minicontos em Hiperbreves.
    Formada em Letras, trabalha com arte-visual. Casada, 'mãe' da Maya - uma Labradora chocolate. 

    Se tem algo a dizer, envie sua msg.

    Nome

    E-mail *

    Mensagem *