• Porque escrever é um vício.

    Meu marido pediu-me (já há algum tempo) para, quando ele morrer, colocar na lápide de seu túmulo a última frase desse poema. Pedido estranho de digerir, mas prometi que, caso eu não morra antes, o farei.

    De toda forma, deixo aqui o texto inteiro - que recebi hoje novamente e é belo.



    Saudade é solidão acompanhada,

    é quando o amor ainda não foi embora, mas o amado já...

    Saudade é amar um passado que ainda não passou,

    é recusar um presente que nos machuca,

    é não ver o futuro que nos convida...

    Saudade é sentir que existe o que não existe mais...

    Saudade é o inferno dos que perderam,

    é a dor dos que ficaram para trás,

    é o gosto de morte na boca dos que continuam...

    Só uma pessoa no mundo deseja sentir saudade:

    aquela que nunca amou.

    E esse é o maior dos sofrimentos:

    não ter por que sentir saudade, passar pela vida e não viver.

    O maior dos sofrimentos é nunca ter sofrido.

    E disso, meus amigos, eu não posso ser acusado:

    Vivi, sofri, me apaixonei por tudo o que a vida me ofereceu!

    Confesso que vivi!!!



    (Pablo Neruda)





    0 comentários:

     

    Arquivo do blog

    Perfil

    Minha foto

    Coordena os Portais Babel Cultural e Estilo 40. 
    Escreveu por dez anos para o site Crônica do Dia. Administra e escreve minicontos em Hiperbreves.
    Formada em Letras, trabalha com arte-visual. Casada, 'mãe' da Maya - uma Labradora chocolate. 

    Se tem algo a dizer, envie sua msg.

    Nome

    E-mail *

    Mensagem *