• Porque escrever é um vício.

    Essa noite eu sonhei com meu pai. E com essa centralização no nascimento da nossa neta, eu sonhei que tinha uma filha, que brincava com ele.

    Esse tipo de visita noturna de gente que já partiu e de quem ainda não chegou, me causa um entorpecimento, uma angústia, inquietação e, naturalmente, lágrimas.

    Meu marido me abraça: diz que está tudo bem - e está mesmo (bem demais, eu diria) -, e porque ele conhece minha alma melancólica, teme que eu regresse para o abismo dos meus sótãos - lugar soturno que abandonei há algum tempo e para o qual me esforço para não voltar: enche-me de carinhos e cuidados...



    Nosso coração abriga tanta contradição! E é impossível controlar as emoções desse caçador solitário...




    0 comentários:

     

    Arquivo do blog

    Perfil

    Minha foto

    Coordena os Portais Babel Cultural e Estilo 40. 
    Escreveu por dez anos para o site Crônica do Dia. Administra e escreve minicontos em Hiperbreves.
    Formada em Letras, trabalha com arte-visual. Casada, 'mãe' da Maya - uma Labradora chocolate. 

    Se tem algo a dizer, envie sua msg.

    Nome

    E-mail *

    Mensagem *